15/10/2019

Jan Frodeno quebra recorde no Mundial de Ironman



Por Redação Runner's World

O último final de semana foi recheado de recordes mundiais. Além de Eliud Kipchoge correr os 42 km mais rápidos da história (1h59min40) no Desafio INEOS 1:59 e Brigid Kosgei terminar a Maratona de Chicago como a mulher mais rápida da distância (2h14min04), no sábado (12), o triatleta alemão Jan Frodeno foi o tricampeão do Mundial de Ironman, prova que acontece todo ano em Kona, no Havaí. 

Com um tempo de 7h51m13, ele superou o recorde anterior, que era do também alemão Patrick Lange (7h52m39 em 2018). Frodeno, que não disputou as duas últimas edições por conta de lesões, é também campeão olímpico de Pequim 2008. 

Sem uma perna e parte do pulmão, brasileiro participa do Ironman

A vitória garantiu a hegemonia alemã, que dura agora seis títulos consecutivos, no principal campeonato de triathlon do mundo. Este ano, a prova contou com aproximadamente 2.446 participantes, que realizaram 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida. Anne Haug, também da Alemanha, foi a vencedora na categoria feminina, com um tempo de 8h40m10s. 

Presença Brasileira no Mundial de Ironman

Entre os mais de 2 mil atletas amadores que disputaram o Mundial de Iroman, 71 eram brasileiros (60 homens e 11 mulheres). Já entre a elite, que contava com 54 homens e 43 mulheres ao todo, apenas Frank Silvestrin representou o país. Ele terminou na 31ª colocação, com 50m55s de natação, 4h41m52s de ciclismo e 2h59m04s na maratona. Dos 54 homens inscritos, 41 terminaram e 13 abandonaram a prova. 

Frank, de 37 anos, conseguiu a vaga para o Mundial ao fazer o Ironman Florianópolis. Ele foi o terceiro colocado, com um tempo de 8h10min19. Com a marca, pôde fazer sua estreia no campeonato internacional. Em suas redes sociais, o atleta compartilhou a emoção de ter participado do Mundial de Ironman: 

“Lágrimas de felicidade, emoção, gratidão e da certeza de ter esvaziado o tanque e ter feito o meu melhor nesse dia. Volto pra casa mais forte, mais calejado, mais experiente, e com muita história pra contar! Uma prova em que arrisquei, errei, aprendi, soube ser flexível e curtir cada km, cada minuto e cada grito de incentivo que recebia no percurso.”

Fonte: https://runnersworld.com.br/jan-frodeno-bate-recorde-no-mundial-de-ironman/