16/09/2019

Inteligência artificial detalhará movimentos dos corredores em Tóquio 2020



As Olimpíadas de Tóquio 2020 parecem ser o evento do futuro. Isso porque, na última quarta-feira (11), foi anunciada uma nova parceria da Intel, multinacional de tecnologia sediada no Vale do Silício, nos Estados Unidos, com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio. E as novidades apresentadas já nesta semana prometem renovar a experiência do espectador graças à inteligência artificial. 

O comunicado à imprensa, que apresentava o acordo de cooperação entre as instituições, também revelou algumas das tecnologias que serão oferecidas no evento para as emissoras que estarão na capital do Japão no próximo mês de julho. 

E já podemos adiantar que os fãs de atletismo terão uma experiência de visualização muito diferente da que estão acostumados.

Quais serão as inovações das Olimpíadas de Tóquio 2020

A gigante da tecnologia está estreando o que eles chamam de 3D Athlete Tracking (3DAT). Até agora, apenas algumas das funções desse software foram explicadas. Mas ele essencialmente usará câmeras com inteligência artificial e visão computacional para mostrar aos espectadores dados em tempo real durante uma corrida. Ele fornecerá análises biomecânicas de características como velocidade do atleta, quem está na liderança e distância percorrida/distância restante. Tudo isso será exibido na tela durante a corrida e replays com visualizações sobrepostas.

“A Intel está focada em oferecer integrações de tecnologia de primeira linha nas Olimpíadas de Tóquio 2020 para melhorar a experiência de atletas, participantes, telespectadores e equipe. Estamos empolgados em fazer o primeiro de uma série de anúncios sobre nosso papel nos Jogos”, disse Rick Echevarria, gerente geral do Programa Olímpico da Intel, em um comunicado à imprensa. “Os Jogos de Inverno em PyeongChang representaram nossa primeira colaboração com o COI. Esperamos ampliar e aprofundar esse relacionamento nos próximos anos.”

Realidade virtual

O 3DAT não será a única tecnologia de exibição para os fãs. Uma experiência de realidade virtual estará disponível para determinados eventos, onde os fãs com óculos de VR poderão ter uma experiência mais imersiva do que a TV proporciona. Algo semelhante foi oferecido em algumas competições nos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018.

Além disso, um software de reconhecimento facial chamado NeoFace será disponibilizado para o evento. Essa tecnologia será usada para identificar mais de 300.000 pessoas, incluindo atletas, voluntários, mídia e outros funcionários em vários pontos de entrada de locais e acomodações. A esperança é que isso evite fraudes e reduza as longas filas de verificação de identidade.

É difícil dizer o que todas essas inovações trarão para as Olimpíadas de Tóquio 2020, principalmente porque ainda faltam 10 meses. E a Intel deverá anunciar mais novidades até lá.

As mudanças podem gerar uma nova era da transmissão esportiva, ou prejudicar a experiência, como quando o Monday Night Football, da ESPN, desativou seu gráfico após o primeiro semestre de estreia, quando os fãs manifestaram sua indignação.

Só teremos que esperar até julho do ano que vem para descobrir.

Fonte: https://runnersworld.com.br/inteligencia-artificial-nas-olimpiadas-de-toquio-2020/